Topo
destaque Opinião

A princesinha do caos

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Um dos tracionais bairros do Rio de Janeiro, cartão postal para o mundo, com suas areias mais badaladas, sofre o caos deixado pelo abandono do poder público.

Arrastões diários, assaltos a cada esquina, moradores acuados e indefesos convidem com a marginalidade que dominou o bairro. Um policiamento disfarçado que aparentemente mostra a imagem de um bairro seguro, é apenas figuração diante do apocalipse atual da região.

As drogas são comercializadas a céu aberto, na luz do dia e no vai a evem de pedestres que transitam principalmente pela área do Posto 2. Isso sem falar dos contínuos assaltos nos postos de ônibus ao longo da  Avenida Nossa Senhora de Copacabana, uma das principais vias de acesso do bairro,  que se torna impossível de enumerar o quantitativo diário. Eu mesmo presenciei quatro assaltos consecutivos em menos de 10 minutos no trecho entre a rua Siqueira Campos e a República do Peru.

Solução? Talvez, mas seria necessário um bom planejamento da equipe de Segurança Pública do Estado, que aparentemente parece não estar dando atenção necessária a crescente estatística que o bairro apresenta.

Delegacias só atendem emergências, isso quando o Policial Civil está disposto a realizar tal ocorrência. As ruas viraram dormitórios da malandragem e as esquinas pequenos pontos de droga, que possui preço variado e entrega a domicílio.

A Rua Rodolfo Dantas, uma das mais conhecidas do bairro por abrigar o Belmont Copacabana Palace, o mais conhecido hotel do mundo, camelôs instalam suas barracas na porta dos prédios , além de vários estabelecimentos que hoje se transformaram em depósitos de bebidas baratas, para atender a demanda que  desembarca na estação do Metrô Arcoverde rumo as águas tropicais.

O tal Museu da Imagem e do Som que nunca foi concluído, agora com a retirada dos tapumes e o processo de construção inacabado, se transformou moradia fixa de cracudos e mendigos a beira mar.

A comunidade do Tabajaras todos dos dias os disparos são frequentes a qualquer hora do dia. Na Avenida Princesa Isabel, não fica muito diferente, pois a nova técnica utilizada é invadir ônibus e estabelecimentos comerciais .

Talvez algum dia o bairro volte a normalidade, porém até o momento nosso atual Prefeito desde que tomou posse, nada fez em prol da cidade e a máfia ainda continua dominando os vantajosos esquemas de corrupção de desvios de verba.

Pra onde correr?

Por Alessandro Monteiro

Curtiu? Compartilhe!

Deixe seu comentário