Topo
Cultura destaque

Jane Di Castro em “As canções de uma Divina Diva” no Centro da Música Carioca Artur da Távola

Jane Di Castro

Não é qualquer artista que pode comemorar cinco décadas na arte de cantar e representar. Mas uma Divina Diva não é mesmo uma artista qualquer! Ainda mais quando ela é a poderosa Jane Di Castro, que vai festejar a incrível marca com o espetáculo “As canções de uma Divina Diva”, no dia 11 de Abril, no Centro da Música Carioca Artur da Távola, no projeto “Melhor Horário”, às 16h. E a comemoração vai ser dupla porque a cantora e atriz faz aniversário no dia 7. O roteiro e supervisão geral é de Ney Latorraca e figurinos de Walério Araújo.

Jane Di Castro vai revisitar os grandes momentos de sua carreira, cantando clássicos da música brasileira e standards internacionais, como “Non, Je ne regrette rien” e “La vie en rose”, ambos em homenagem à outra diva, só que francesa, Edith Piaf. E Jane também vai cantar em inglês, reverenciando Louis Armstrong e Gloria Gaynor. “Abro o show com ‘I Will Survive’, o hino gay que canto em espanhol em homenagem à Célia Cruz, em ritmo de samba”, conta Jane.

Haverá outras homenagens. Uma delas à grande Bibi Ferreira, que dirigiu Jane no espetáculo “Gay Fantasy”, em 1981, na histórica Galeria Alaska, em Copacabana. E também a Alcione, Rita Lee, Marisa Monte e Cauby Peixoto.

Na parte nacional do repertório, há sucessos como “Balada do louco”, dos Mutantes; “Bastidores”, de Chico Buarque, eternizada na voz de Cauby; “Devolvi”, de Adelino Moreira, gravada por Núbia Lafayette; e muitas outras canções que compõem a retrospectiva das cinco décadas de carreira de Jane Di Castro.

Foto: Divulgação

 

Entre um número musical e outro, ela promete contar várias histórias, tudo com muito humor, mesmo as mais dramáticas que envolvem preconceito e homofobia, como a que viveu na Praça Saens Peña, na Tijuca, onde foi forçada por playboys a fazer um striptease no antigo chafariz. Criada no subúrbio de Oswaldo Cruz, Jane ia muito à praça por causa dos cinemas, onde assistia aos filmes de suas musas inspiradoras: Marilyn Monroe, Ava Gardner, Lana Turner, Anita Ekberg e Jane Mansfield. “Queria ser loira e hollywoodiana.

Consegui ser loira, mas hollywoodiana só de Oswaldo Cruz”, diverte-se Jane.

São muitas histórias na vida da artista. Afinal de contas, ela é divina, ela é diva, ela é Jane Di Castro.

 

Serviço: Show “As canções de uma Divina Diva” no Projeto “Melhor Horário”

Dia: 11 de Abril

Horário: 16h

Local: Centro da Música Carioca Artur da Távola

Endereço: Rua Conde de Bonfim, 824 – Tijuca

Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Lotação: 159 lugares

Classificação livre 

Curtiu? Compartilhe!

Deixe seu comentário